Contando os dias para a Beauty Fair 2018

sábado, 11 de agosto de 2018


Ano passado graças à pressão da Késsia (pensa numa garota antenada) cortei um dobrado e fui na Beauty Fair que acontece em São Paulo!
Pense em uma experiência única na minha vida! Fomos eu, Késsia e Aline e nem sei descrever o quão engrandecedor foi para mim como Influencer e como pessoa. Tem post aqui.
Esse ano já programamos com antecedência e não vejo a hora de estar embarcando novamente para aqueles dias de loucura, aprendizado e muitas - mas muitas - novidades do mundo da beleza!

A Beauty Fair para quem ainda não sabe é a maior feira de beleza da América Latina reunindo aproximadamente 2.000 marcas, 500 expositores, 165.000 visitantes em 80.000, num período de 4 dias em 2017! Ouch!


E no dia anterior (07/09) também acontece o Btalk (Beauty Talk Digital) que é um evento à parte voltado para Bloggers e influencers. Lá acontecem várias palestras sobre Mídias Sociais e várias coisas relativas ao tema. E lógico que não vou ficar de fora mais uma vez né nóhn!

Ansiosíssima? Claro que sim! Até lá!

Precisamos falar sobre Nanette da Netflix

domingo, 29 de julho de 2018


Nanette (2018) é Stand Up da Hannah Gadsby (Please Like Me, crédito de escritora e atriz), e está disponível na Netflix.
 
Antes de começar gostaria de fazer algumas considerações para entenderem o meu impacto e necessidade de vir aqui falar:
1 – Eu não gosto de comédias em geral devido à minha falta de senso de humor! E stand up então, nunca tinha visto nenhum e nunca tive vontade;
2 - Não faço parte de minorias, logo não fui ou sou alvo de qualquer tipo de preconceito;
3 – Só fui ver Nanette por conta de indicação de pessoas que admiro: @cecilia.dassi e @futilidades

 O que não me isenta da responsabilidade de usar minha voz para gritar contra injustiças mesmo que não as tenha sentido “na pele”. E a isso chamamos de empatia!   


Agora vamos ao que queria falar:

Hannah Gadsby (estrela de Nanette) nas palavras dela é “sapatão, gorda e feia de um lugar minúsculo e distante”, no caso, Smithton na Tasmânia, continente Australiano

Ela começa como qualquer stand up fazendo piadas sobre ser LGBT, o que isso significa e como ela se enquadra ou não nos critérios e padrões! E achamos graça nos enquadrando ou não nas piadas.

Só que de repente o show dá uma reviravolta inesperada e ela coloca ele: o homem, branco, cis, hétero, privilegiado em pauta. E aí meus amigos, é onde Nanette mostra sua força!

 "porque é perigoso ser diferente"

Porque essa mulher sofreu o diabo apenas por ser quem é (sem opção, sabemos) e porque as pessoas à sua volta simplesmente discordavam, ou achavam que era pecado, crime ou qualquer outra justificativa sem pé nem cabeça ou fundamento, para deixa-la à margem dos “outros seres humanos”.

E quando ela diz que precisa parar de fazer piadas depreciativas sobre ser lésbica, que ela usava a comédia para mascarar sua dor, nesse momento sentimos com total potência essa dor! E o que era para ser engraçado (será mesmo?) nos faz verter lágrimas incontroláveis por – como disse não vivi nada disso – sentir ou imaginar o que ela pode ter passado, sem saber na verdade um ínfimo do que realmente foi. 


Quando ela diz: “O riso é só o mel que adoça o remédio amargo”, ou “estou morta por dentro, sei lidar”.

Dói!

Na alma!

No ser!

Vemos e sentimos sua dor, vemos sua raiva e por fim sua ideia de redenção. Quando ela diz que não quer alimentar esse ódio dentro dela.


E no momento em que ela em meio a raiva e choro contido brada a frase, “não há nada mais forte que uma mulher destruída que se reconstruiu”! Bradamos com ela, torcemos por ela, sentimos por ela, e a partir de agora amamos e admiramos essa força da natureza chamada @hannah_gadsby

 "Não há como ninguém se atrever!"

Quem não viu, veja! Quem já viu, espalhe! Chega de tanto ódio, incompreensão e preconceito nesse mundo! Todo mundo deveria ter seu espaço e ser aceito! Ninguém deveria ser qualificado e classificado por sua opção sexual, cor da pele ou quantidade de gordura no corpo! Chega!

Quem mais aí está cansado?

Comentem! Reverberem! Exponham! Gritem! E nunca se deixem calar!



A Carta Magna do Amor (e da reciprocidade)

domingo, 15 de julho de 2018

Vi esse texto/reflexão/tiro na cara, no Instagram de uma amiga, a Tati do @prioridade de mãe e prometi para mim mesma ler e reler toda vez que cogitar aceitar menos que mereço, tanto de pessoas - e não necessariamente no sentido romântico - quanto da vida. 

"nós aceitamos o amor que achamos que merecemos"

E além de decidir na mesma hora postar aqui para o mundo inteiro ver também (humilde ela né, rs), e, para que vocês possam ler e, quem sabe, libertar muita gente por ai de amor meia boca, que aceitamos por medo da solidão.

O título do post também veio quase que imediatamente, e para isso explano o significado dessa escolha.
fem. sing. de magno


mag·no
(latim magnus, -a, -um)


adjetivo

1. Grande.


2. [Figurado]  Importante.

"magna", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/magna [consultado em 05-07-2018].

Magna é o feminino de magno. O mesmo que: extraordinária, grandiosa, magnífica. 


magno
adjetivo
  1. que pela importância se sobrepõe a tudo que lhe é congênere; de grande relevância.☞ ver gram/uso a seguir.
    "m. questões"
Origem
⊙ ETIM lat. magnus,a,um 'grande, poderoso, ilustre'
in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/magna [consultado em 05-07-2018].Que é muito grande, importante.
[Figurado] Que é mais relevante do que qualquer outro de mesmo aspecto, natureza, tipo; grandioso, extraordinário, magnífico.Etimologia (origem da palavra magno). Do latim magnus, "grande".
fem. sing. de magno


mag·no
(latim magnus, -a, -um)


adjetivo

1. Grande.


2. [Figurado]  Importante.

"magna", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/magna [consultado em 05-07-2018].


reciprocidade
substantivo feminino
  1. 1.
    qualidade ou caráter de recíproco; correspondência mútua; recíproca, reciprocação.
  2. 2.
    lingüística semt
    relação entre vocábulos cujos sentidos contrários expressam uma relação recíproca, como em comprar - vender, marido - mulher etc.
    Estado do que é recíproco, mútuo, do que se realiza ao mesmo tempo que outra coisa; em que há troca, cooperação; reciprocação.


Quando a gente quer muito uma pessoa, a gente se engana.

A gente tenta encaixar aquele outro ser humano em posições que nunca foram dele. A gente clama ao universo para um sim em algo que já começou destinado ao não. A gente quer, e a gente bate o pé e faz pirraça feito criança para conseguir.

Mas um dia a gente percebe que amor tem que ser uma via de mão dupla. Amor tem que ser fácil, tem que ser bom, tem que ser complemento, tem que ser ajuda.


Amor que é luta é ego. Amor que rebaixa é dor. E então a gente aprende que amor que não é amor, não encaixa, não orna, não serve.

Fique com alguém que não tenha conversa mole. Que não te enrole. Que não tenha meias palavras. Que não dê desculpas. Que não bote barreiras no que deveria ser fácil e simples.

Fique com alguém que saiba o que quer e que queira agora.

Fique com alguém que te assuma. Que ande com orgulho ao seu lado. Que te apresente aos pais, aos amigos, ao chefe, ao faxineiro da firma. Que segure a sua mão ao andar na rua. Que não tenha medo de te olhar apaixonadamente na frente dos outros. Fique com alguém que não se importe com os outros.

Fique com alguém que não deixe existir zonas nebulosas. Que te dê mais certezas do que perguntas. Que apresente soluções antes mesmo dos questionamentos aparecerem. Fique com alguém que te seja a solução dos problemas e não a causa.


Fique com alguém que não tenha traumas. Que não tenha assuntos mal resolvidos. Que saiba que para ser feliz, tem que deixar o passado passar. Fique com alguém que só tenha interesse no futuro e que queira esse futuro com você.

Fique com alguém que te faça rir. Que te mostre que a vida pode ser leve mesmo em momentos duros. Que seja o seu refúgio em dias caóticos. Fique com alguém que quando te abraça, o resto do mundo não importa mais.

Fique com alguém que te transborde. Que te faça sentir que você vai explodir de tanto amor. Que te faça sentir a pessoa mais especial do universo. Fique com alguém que dê sentido à todos os clichês apaixonados.

Fique com alguém que faça planos. Que veja um futuro ao seu lado. Que te carregue para onde for. Que planeje com você um casamento na praia, uma casa no campo e um labrador no quintal.

Fique com alguém que apesar de saber que consegue viver sem você, escolhe viver com você.

Fique com alguém que não se esconda. Que não te esconda. Que cada palavra seja direta e clara. Que não dê brechas para o mal entendido. Que faça o que fala e fale o que faça.

Fique com alguém cujas palavras complementam suas ações.

Fique com alguém que te admire. Que te impulsiona pra frente. Que te apoie quando ninguém mais acreditar em você. Que te ajude a transformar sonhos em realidade.

Fique com alguém que acredite que você é capaz de tudo aquilo que queira.

Fique com alguém que você não precise convencer de que você vale a pena. Que não tenha dúvidas.

Fique com alguém que te olhe da cabeça aos pés e saiba, sem hesitar, que é você e só você.

Fique com alguém que te faça olhar para trás e agradecer por não ter dado certo com ninguém antes.

Fique com alguém que faça não existir mais ninguém depois. 


É pedir demais? Acho que não. Como já pontuei ali em cima, muitas das vezes aceitamos um amor meia boca por medo de ficar sós. Mas acredito que possamos construir uma relação de amor e respeito com nós mesmos, e quando isso acontece vai ser um processo natural não aceitar menos que merece na sua vida! 

Me contem o que acham, qual é a sua experiência.